GMR PR3 – Rota da Penha




Galeria de Imagens


Ficha Técnica
Nome do percurso: GMR PR3 Rota da Penha
Comentário:
Descrição:
Distância: 8.528,13 metros
Altitude mínima/máxima: 185 / 615 metros
Ganho de elevação acumulado: 1.261 metros

Tipologia: CIRCULAR

Distância: 8,5 quilómetros

Duração (horas – aproximada): 3 horas

Tipo de Piso: CAMINHO RURAL

Grau de Dificuldade: Fácil

Local de Partida: Guimarães Parque da Cidade ou Igreja dos Santos Passos

Local de Chegada: Guimarães Parque da Cidade ou Igreja dos Santos Passos

Coordenadas Geográficas:
Guimarães Parque da Cidade – 41°26’39.18″N 8°17’1.70″W
Igreja dos Santos Passos – 41°26’28.81″N 8°17’27.14″W

Marcação do Percurso e Edição de Guia: Município de Guimarães

Descrição do Percurso: Numa área geográfica inóspita e de difícil acesso por entre as penedias, a dinamização da ocupação religiosa como hoje a conhecemos surgiu porque, em 1702, um ermitão de nome Guilherme Marino, oriundo de França, depois de deambular por terras da Galiza e do Norte de Portugal, escolheu a da Montanha de Santa Catarina para se fixar numa das várias grutas naturais existentes. Pertencente à ordem de Santo Antão, o ermitão escolheu o lugar porque, de acordo com os seus desígnios espirituais, o considerou propício à vida contemplativa. Adaptada a gruta, o ermitão terá mandado esculpir, em Braga, uma pequena imagem da Virgem e a terá colocado para devoção na dita formação rochosa. O acto constituiu o momento fundador da gruta como ermida da Senhora do Carmo, designação como actualmente a conhecemos. Na montanha, a presença do ermitão, entretanto descoberto por caçadores, difundiu-se e a gruta transformou-se num pequeno templo. Ainda no século XVIII, uma pequena comunidade de carmelitas descalços, presidida por Frei Joaquim de Santo Elias, sucedeu ao ermitão. Esta comunidade terá dado continuidade e incremento ao culto, ao entronizar a imagem da Virgem e ao edificar um simples hospício. Perto desta gruta surgiram outros espaços adaptados, que hoje se definem como a Adega do Ermitão, a Gruta da Senhora do Carmo, a Gruta do Padre Caldas, a Capela de São Cristóvão, o Jardim Suspenso, o Penedo Suspenso e a Casa do Despacho. Produtos do esforço do ermitão e das esmolas dos crentes (já frequentes, na altura) para o processo de sacralização do espaço. Durante a segunda metade do século XIX, principalmente, são expressas as intenções de administrar e fomentar o culto à já existente imagem e ermida da Senhora do Carmo da Penha, bem como de beneficiar o conjunto dos valores naturais, monumentais, religiosos, históricos e culturais do espaço sagrado. Surgem locais de culto e respectivas devoções populares às entidades divinas. Na Montanha da Penha, o culto a Santo Elias, padroeiro do sono, estabeleceu-se precisamente junto à gruta-ermida da Senhora do Carmo. A devoção à Senhora do Carmo está na origem das manifestações em torno de outras entidades marianas, como a Senhora da Penha ou a Senhora de Lurdes. Está ainda relacionada com o aparecimento da Irmandade de Nossa Senhora do Carmo da Penha. Esta associação religiosa começou a formar-se muito antes da
constituição e aprovação dos seus estatutos, oficialmente aprovados pelo alvará de 23 de Março de 1872. Desde então, a Irmandade de Nossa Senhora do Carmo da Penha tem gradualmente cumprido com os objectivos para os quais se propôs, como a administração do espaço e do património, fomento do culto, celebração festiva às entidades divinas evocadas no planalto da Montanha da Penha, preservação e valorização turística do local. Desde a adaptação de uma gruta em local de culto à Virgem até à actualidade, a Penha sofreu uma profunda transformação. De agreste e inóspito, o espaço tornou-se agradável e tranquilo, onde os visitantes podem encontrar o
reconforto espiritual e um parque natural propício à descoberta de inesquecíveis momentos de lazer.

Motivos de Interesse: Convento Santa marinha da Costa; Capela de Santa catarina; Estátua de PIO IX; Gruta da Senhora de Lourdes; Santuário da Penha; Capela dde São Cristóvão; Gruta da Senhora do Carmo.

Certificação: (FCMP) Município de Guimarães

 

Última atualização: 10/05/2017